quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

Entrevista com Zédú Neves - Autor de: DIZ(AMOR)

Pseudônimo de José Eduardo das Neves. Ator, diretor e professor de teatro. Formado em Artes Cênicas pela Unicamp (1993), iniciou sua carreira profissional na Cia. Razões Inversas, sob direção de Márcio Aurélio, permanecendo até 1996. Em 1995 começou a lecionar no Teatro Escola Macunaíma onde até hoje ministra aulas de Montagem Cênica e História do Teatro. Ao longo destes 21 anos foram mais de 80 espetáculos dirigidos. Em 2000 ingressou como orientador teatral na Universidade Mackenzie, ministrando cursos livres de teatro e dirigindo a Mostra de Teatro que já está em sua 16ª edição – mais de 40 espetáculos encenados. Em 2004 fundou a Cia. Gritos e Sussurros, companhia que busca trabalhar seus espetáculos no universo das tragicomédias cotidianas, onde os encontros e desencontros, ilusão e esperança, amor e frustração delineiam a pesquisa do grupo. Como ator, participou de novelas e séries de grandes emissoras, atuou em longas-metragens, como Menino da porteira e Caixa Dois, dentre outros. Ainda em sua trajetória profissional realizou encenações de óperas com coro e orquestra, bem como trabalhos cênicos em corais. Atualmente é mestrando no curso de Educação, Arte e História da Cultura na Universidade Mackenzie.

Três histórias que se cruzam. Três momentos que nascem de um primeiro texto, A Inquisição da Alma, que insere poeticamente o tema da dualidade feminino/masculino: uma brincadeira de amor entre Jasão e Medeia, renovados no século XXI. Será? Medeia ainda se mostra apaixonada e lamenta os desencontros do amor. Jasão cruza os séculos repetindo fórmulas, delineando o desgaste do masculino que desemboca na falência da relação a dois. Um ano depois, Diálogo de Nós Dois elabora concretamente o que se traduzia de forma experimental e onírica no texto anterior: Jasão e Medeia agora são Pedro e Sofia, e seus duplos – consciente e inconsciente – dialogam e se fundem em nós... Ao redor do casal gravitam personagens que resgatam o passado do relacionamento: terapeutas, amigos e amantes. Perdidos num labirinto de vaidades e quereres, eles se reduzem a um clichê de história de amor. O terceiro momento acontece com A Bomba... E o Beijo: o acerto de contas, o happy end de algo que não poderia acabar bem. Existe uma bomba, existe o passado e existe um cronômetro marcando 60 minutos para resolver o que não se resolveu em anos. Pedro está cansado de tudo e, ainda preso nas memórias de um amor perdido, se lança num protesto globalizado. Sofia é vítima... – será que existem  vítimas? O desfecho... a bomba? Ou o beijo? Catch a fire! BUM!

Olá José Eduardo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Trata-se de uma trilogia de textos teatrais encenadas pela Cia. Gritos e Sussurros (entre 2004 e 2011) onde também fui o diretor dos espetáculos. A questão do registro do trabalho de forma concreta foi o que motivou o livro, as três peças escritas em parceria com Airen Wormhoudt traça uma trajetória da pesquisa teórica levada a cena pela Cia. Cada texto lança um olhar para um momento específico do grupo e juntos dão um sentido a tudo que foi discutido no nosso trabalho. Penso que tanto o público de teatro, que se interessa em ler peças de teatro, assim como o público em geral, encontrarão nos três textos uma possibilidade de leitura bem interessante, que vai além da característica teatral do mesmo. Seu conteúdo, personagens, propõe a discussão, a reflexão da dualidade masculino/feminino nos dias de hoje, e ressalta momentos que a grande maioria dos relacionamentos a dois vivem em nossa contemporaneidade.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Já tenho 2 filhos, já havia plantado uma árvore, no mínimo o livro coincide com a expressão popular...Rsss, mas mais que isso ele me permitiu refletir a cerca de minha própria obra dentro do teatro, além da atuação e da direção de espetáculos, me mostrou uma pessoa diferente no exercício da escrita, embora tudo esteja conectado (Ator,diretor e autor) o livro alimentou um desejo antigo de mostrar uma produção pessoal e criou um próximo objetivo, publicar um texto infantil que tenho muito carinho, que já encenei inclusive, e que creio funciona muito bem como peça e história infantil, chama-se Zinha, a Nuvenzinha.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Dentre tantos essa é mais uma questão problemática para o país. Não vivo como escritor, mas trabalho com arte, teatro e sei que há um descompasso imenso entre nossa capacidade de produção artística, que é imensa, com o efetivo interesse do público pela literatura. É preciso investir em educação para que os livros passem a fazer um sentido efetivo na vida das pessoas, somos milhões de potenciais consumidores de livros, mas também somos muito maltratados pela história e por governos que não se preocuparam efetivamente com a questão da educação no país. Um livro não pode ser um prazer artístico de um determinado segmento social elitizado, ele tem que fazer parte do arcabouço crítico de formação e reflexão na educação de um povo, de uma sociedade, de todos.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através de uma amiga, que já conhecia outra amiga que havia publicado pela Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Lógico que merece!... É o nosso livro!... Rssss... Onde, além disso tanto como texto teatral e/ou literatura sempre nos preocupamos em comunicar uma ideia, propor um olhar diferenciado e se possível prazeroso para o público. Nosso livro a partir de agora não é mais nosso, é do público e como tal se propõe a divertir e provocar.
A mensagem que deixo é: Leiam livros! Leiam o nosso livro DIZ(AMOR)! E faça nele a sua viagem pessoal, com tudo que ele possa te propor.
Esse livro como inclusive é o nome de um textos: - É UM DIÁLOGO DE NÓS DOIS.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Entrevista com Natanael Pereira da Silva - Autor de: CONQUISTANDO UM SONHO

Natanael Pereira da Silva
Natural de Ipanema, em Irecê (BA), vivia com a família no sertão baiano. Filho primogênito do Sr. Leonides e Sra. Ana Amélia, foi criado com amor e carinho na Fazenda Mandacaru. Em 1952 nasce o desejo em Nino Baianinho de alcançar a cidade grande... Natanael Pereira da Silva, o Nino Baianinho, nasceu em 28 de outubro de 1936 no povoado de Ipanema, cidade de Irecê, hoje América Dourada, no Estado da Bahia. Após ter conquistado seu sonho, trabalhou e morou em Santo André (SP); casado, foi morar inicialmente em São Paulo (capital) e posteriormente mudou-se para São Caetano do Sul (SP). Alguns anos mais tarde, surge a grande oportunidade de trabalho numa multinacional alemã, a AEG Telefunken do Brasil, na capital paulista. Nessa empresa trabalhou por vinte anos até alcançar a aposentadoria. Funcionário dedicado e esforçado, estudou e se profissionalizou no Senai de São Paulo. Teve uma carreira profissional ascendente: iniciou seu trabalho como prensista, qualificou-se e tornou-se torneiro mecânico e, depois, torneiro ferramenteiro. Conquistou o reconhecimento dos seus colegas de trabalho e também da empresa em que trabalhou e se dedicou, tendo sido eleito Operário Padrão 81 em São Paulo (vide Encarte no livro). Convidado a participar da eleição do Operário Padrão do Estado de São Paulo na FIESP (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), ficou entre os dezoito candidatos finalistas. Presbítero com bom testemunho desde 1990 até a presente data na Igreja Presbiteriana do Brasil em Ipanema, América Dourada (BA), atualmente divide moradia entre o povoado de Ipanema na cidade baiana, onde vivem seus irmãos e irmãs, e a cidade de Diadema, no ABC paulista, onde vive feliz e em harmonia junto com a esposa, filhas, filho, netos, netas e bisnetos.

Relata uma viagem emocionante contendo fatos reais. Com muito esforço e determinação, o autor conta sua história e como enfrentou e superou grandes obstáculos, que se transformaram em esperança, renovaram sua fé e fortaleceram seu ideal. Com isso, sem nunca deixar de lado a humildade, conseguiu conquistar o sonho alojado em seu coração.





Olá Natanael. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Descreve uma viagem fascinante e inesquecível com fatos reais para realizar um sonho. Destina aos amantes literários que conhecerão o Brasil rústico nos Sertões Mineiro e Nordestino.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Metalúrgico e Presbítero sou muito familiar e amante da natureza. Busco o melhor com amor e tenho planos de relatar e mostrar memórias vividas em nova obra.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
A vida de um escritor é bonita e deslumbrante por nos presentear com obras que divulgam fatos e acontecimentos.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Pela web com as belas obras e sucesso. Isto me impulsionou com o seu belo trabalho notei a atenção especial dirigida aos escritores anônimos.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Narra uma historia real com encanto nos caminhos que percorri. Destaco que a minha superação nos desafios e dificuldades foram presente de Deus.
Senti-me honrado por transmitir meu sonho. Venho desejar uma boa leitura e que seu coração encontre amor e alegria.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Entrevista com Edvaldo Araújo dos Reis - Autor de: TEIAS DA VIDA

Conhecido como Edinho Reis, nasceu na cidade de Ribeira do Pombal, interior da Bahia, no dia 30 de dezembro de 1982. Vivendo, até dar prosseguimento aos seus estudos, no povoado Boca da Mata.
Filho do senhor José Evandro, carpinteiro e analfabeto, e da senhora Carmelita, ensino fundamental incompleto, viveu rodeado de irmãos, seis, numa família bastante unida.
Desde cedo, já demonstrava familiaridade pelas artes, ao pintar alguns quadros, na sua adolescência.
No ano de 1998, iniciou o Ensino Médio, apurando mais o gosto pela área de exatas, em especial Matemática, concluindo-o em 2000. Um ano após, surgiu o gosto, inusitado, pela escrita, e começou a escrever um romance policial, que se perdeu com o tempo.
Em 2004, ingressou na Universidade Federal de Sergipe, no curso de Matemática Licenciatura Plena. Dois anos depois, foi tocado novamente pela arte, agora compondo músicas. E, um pouco mais tarde, pelas artes cênicas, com atuações em peças teatrais naquela Instituição. Era um aluno dedicado e sempre se destacava. Nesse mesmo ano, iniciou-se a escrita deste livro.
Concluiu, em 2009, a sua graduação, pouco mais de um ano após a morte de seu pai, e retornou para sua cidade natal, respirando novamente o ar puro do povoado de origem.
Foi aprovado num concurso do Estado da Bahia para ministrar aulas de Matemática, em 2011. Ingressou no Mestrado Profissional em Matemática, também naquele ano, na Universidade onde concluiu sua faculdade, obtendo o título de Mestre em Matemática, em 2013.
Desde então, Edvaldo ministra aulas na rede estadual, na Bahia, e destaca-se como professor, escritor, ator, cantor e pintor, sendo esta, a sua primeira obra publicada.

Inspirado em acontecimentos que, para muitos, são ditos como acasos, este romance tenta mostrar que há uma força maior capaz de unir pessoas, principalmente através de pequenos detalhes que, às vezes, passam despercebidos.
Eduardo, um estudante de Física da Universidade Federal da Bahia, rapaz humilde, cheio de sonhos e fascinado pelo espaço, não tinha ideia de que um simples esbarrão poderia mudar completamente a sua vida.
Teias da vida – o regresso narra um romance repleto de ambições, intrigas e vingança, desencadeado após a morte de um ente querido de Eduardo. 
Aos poucos, as personagens vão percebendo a existência de um entrelaçamento entre o passado e o presente, com as revelações que, ao longo da trama, são desvendadas. Compreendem a existência do amor puro e que ele está acima de tudo. Entendem, de alguma forma, que os acasos vão tornando-se providências e tudo faz parte da grande teia da vida.
Através de uma narrativa simples, o leitor é surpreendido, a cada momento, com essas revelações, sendo levado a um singular e extemporâneo final.

Olá Edvaldo. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Teias da Vida – o regresso é a primeira parte da trilogia, Teias da Vida. Nesse primeiro livro, que se passa em 1999, mas que haverá um futuro, pode-se perceber a existência do amor puro, através das várias formas de amar: amor entre casais, entre irmãos, entre pais e filhos, entre amigos... Ele dá ênfase aos valores morais e humanos do ser, através das diversas personagens. À medida que o leitor vai adentrando-se no livro, percebe que há uma entrelaçamento entre o passado e o presente, como teias, sendo surpreendido, a todo momento, com as revelações desvendadas ao longo da trama. Aborda a questão amorosa, espiritual, humana, social, religiosa e cultural.
Eu Comecei a escrevê-lo em 2006, partindo de inspirações que, sinceramente, não consigo descrevê-las. Elas surgiram em minha mente, e, a princípio, não possuíam uma história completa; esta foi surgindo a cada letra que eu redigia.
É destinado a todos os públicos que queiram desfrutar de um linguagem simples, com um enredo sedutor, através de personagens marcantes, e com um final surpreendente.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou Mestre em Matemática, apaixonado pela área de exatas. Contudo, desde cedo, a arte encantava-me com a sua beleza, em todos os sentidos. Já desenhei, cantei, escrevi poemas e canções, nada publicado, apenas alguns guardados num caderninho de adolescente...
Esse livro torna-se um sonho realizado, mas não o único, o primeiro de muitos que virão. Pois, quando o ser é tocado pela arte de escrever, as palavras cruzam-se na mente, como vários anagramas, e vão formando personagens, ambientes e belas histórias, tornando-o o senhor dos seus mundos.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Eu penso que escrever está além de atingir a todos, ou somente a alguns. Escrever é prazer, é conforto, é valorização do ser. Não se escreve por que será lido por todos, escreve-se para tocar o coração dos que leem, escreve-se para ensinar o leitor. E a alegria maior do escritor é ouvir: Obrigado! Eu aprendi!. E esse aprendizado fixa-se à alma. O importante é semear.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através de inúmeras pesquisas, e por indicação de um autor que publicou com vocês. É válido ressaltar, ainda, que nem todas as editoras dão oportunidades aos escritores iniciantes. Agradeço ao Grupo Editorial Scortecci pela oportunidade.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Eu acredito que quem decide o que deve ser lido ou não é o leitor. Sabemos que existem listas para tudo: locais para visitar, vinhos para degustar, comidas para provar... e também livros para ler.
O meu livro merece ser lido porque pode se tornar um local para visitar, um vinho para degustar e, até, uma comida para provar. Compreendo que nem todo leitor estará disposto a lê-lo, mas ele deve entender que, assim como muitas vezes as pessoas possam estar cansadas de muitas leituras por aí, uma hora descobrirão aquele livro predileto, o que te faz pedir mais, querer saber o que acontecerá folha após folha... Aquele livro que seja lido com o coração. Como dizia Hermann Hesse, ler um livro é para o bom leitor conhecer a pessoa e o modo de pensar de alguém que lhe é estranho. É procurar conhecê-lo e, sempre que possível, fazer dele um amigo.
Assim como eu digo, nesse livro, que o amor tem o poder de transformar o silêncio, o livro tem o poder de expressar o silêncio através de palavras.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

domingo, 15 de janeiro de 2017

Entrevista com Cícera Sousa - Autora de: O MUNDO BÁRBARO DE BÁRBARA - A DOR DE PEDRO

Nasceu e mora, na cidade de Cruzeiro do Sul, no noroeste do estado Paraná. É irmã, de oito irmãos, três mulheres e cinco homens. Solteira, mora com a mãe e dois irmãos, o pai é falecido. Cícera Sousa também é artista e já participou de exposição de seus belos quadros os quais pinta de modo intuitivo, por tratar-se de uma autodidata.
Começou a escrever a partir de um sonho que teve. Viu anjos descendo do céu, bem onde ela estava. Ficou tão contente ao ver tantos anjos que sorrindo perguntou quem eram eles. Um deles disse que era o que ela foi, e que ela voltaria a ser o que eles eram. Ela não entendeu nada do que ele estava falando, achou que ele ia levar-la embora, que ia morrer. Passado o primeiro impacto tomou coragem e perguntou qual era a missão deles para com ela. Respondeu o anjo: – antes de você voltar a ser o que nos somos e a que você já foi, Deus nos enviou para trazer para você uma nova missão que será realizada através de uma de suas aptidões. Eufórica perguntou a ele: _ Mas o que é? _ mas ele não me disse nada. Cícera acordou assustada. Ficou imaginando, o seria este dom? Qual seria esta missão? Ficou tentando interpretar o sonho que teve. O que será que Deus ia mandar a ela? Começou a escrever. O dias foram passando e ela se deu conta que estava escrevendo o livro: O mundo bárbaro de Barbara. Foi ai que se lembrou do sonho e se percebeu qual era a sua missão.
A vida é mesmo um mistério. Hoje ela está lançando seu segundo livro: O mundo Barbara de Barbara a dor de Pedro, uma continuação do primeiro.

A dor de Pedro, continuidade de O mundo bárbaro de Bárbara,  traz um enfoque no qual o protagonista da história, o jovem Pedro, luta permanentemente para conviver com o sentimento de perda. A dor da perda é mais forte que a vontade de viver, mesclada de momentos de  lucidez efêmera. Esse sentimento incrustado se constrói de forma que a dor implacável desassossega a alma marcada pela dor. A autora registra o sofrimento motivado pelo sentimento dorido da perda, tão intensa, que a razão é sugada pela emoção que definha e, muitas vezes, animaliza o humano do protagonista. Uma dor que cega a sua alma ávida por vingança. Este sentimento é a motricidade para sua existência que, de alucinada à complacência espiritual, por interferências etéreas, consolida a essência da verdadeira fé e não se perde pelo caminho da existência, sob o ápice da relação humana com o divino.

Olá Cícera. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
A parte dois do livro O mundo Barbara de Barbara, trata da dor da perda e o difícil poder de perdoar. A ideia surgiu depois que uma leitora me pediu para fazer a parte dois do livro, O mundo bárbaro de Barbara. O livro é uma obra aberta a todo o público que gosta de uma boa leitura.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Eu nunca imaginei lançar nem o primeiro livro, e já fui para o segundo, que para mim é uma vitoria. O meu projeto, se Deus me ajudar, é não parar mais, quero escrever até quando der. Eu acho que cada projeto é diferente, filhos, árvore e só trabalhar.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não é fácil ser escritor no Brasil, mas é gratificante mesmo com toda dificuldade. Estou seguindo em frente, espero que os Brasileiros descubram com é bom viajar sobre as histórias de um bom livro.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Foi através do professor, Adelmo Silva.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Qual é o escritor que não deseja que sua obra seja lida? E eu não sou diferente. O meu livro merece ser lido, por que eu escrevo com amor. Quando imagino as pessoas lendo e se deliciando com cada capitulo e com seus corações acelerados, fico feliz, por que eu escrevo para eles. Eu desejo a cada leitor uma ótima leitura. E que Deus nos abençoe. É isso e obrigada.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

sábado, 14 de janeiro de 2017

Entrevista com Caetano Junior - Autor de: BRUNA VANESSA

Nasceu em Santos-SP. Técnico em Eletrônica e em Edificações, graduado em Engenharia e em Bioquímica pela Universidade de São Paulo, compositor e pianista, estreou na Literatura em 2009 com o livro "A Chave do Almoxarifado de Cianetos e Outros Contos Contemporâneos".
Na música, lançou em 2015 o CD autoral Pele Morena e Azul - Larissa Cavalcanti Canta Caetano Júnior, classificado para a disputa do 27º Prêmio da Música Brasileira e merecedor de Menção Honrosa no site Melhores da Música 2015.


Bem vindos, leitores, aos mundos de Bruna Vanessa, Ana Cláudia, Cabral e Kele, onde há música e centros cirúrgicos, empresas e sindicatos, incêndios e favelas, onde ocorrem sequestros, pipocam greves, constroem-se unidades residenciais, mas acima de tudo onde se fala sobre amor, confiança, inveja, ciúme, bondade, raiva,egoísmo, nedo do futuro, fé em Deus...ou seja, todos os ingredientes que formam a complexidade do coração humano.
Boa leitura!


Olá Muríllo Cesar. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro contém quatro estórias, que talvez sejam excessivamente longas para serem enquadradas como contos. A ideia dessas estórias já estava há algum tempo na minha cabeça, portanto bastou colocar no papel. Devido à temática um tanto complexa, considero que o livro se destina ao público adulto.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Este é meu segundo livro. Comecei em 2009, com A Chave do Almoxarifado de Cianetos e Outros Contos Contemporâneos. Provavelmente haverá outros. Estou com uma ideia de um romance na cabeça, mas ainda está muito crua para colocar no papel.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não creio que este problema seja só nosso, deve haver muitos outros países na mesma situação. E penso que a questão da valorização da leitura é uma opção de cada um. Existem inúmeros caminhos que levam o cidadão à cultura, porém compete a ele decidir se quer ou não segui-los. Como escritor, creio que não devo me preocupar com isso, caso contrário a autenticidade da minha obra poderá ser prejudicada.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Eu diria que não existe escritor que nunca tenha ouvido falar da Scortecci. Fiz alguns cursos na Escola do Escritor, gostei, e daí a decidir publicar com a Scortecci foi um passo consequente.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Eu penso que todo livro merece ser lido, porque representa a imortalizarão do pensamento do seu autor. Espero que os textos acrescentem algo de positivo a cada leitor. Isto me dará um sentimento de missão cumprida.

Obrigado pela sua participação.


Leia Mais ►

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Entrevista com Pastor Edson Santos - Autor de: 7 PASSOS - CAMINHANDO COM DEUS PARA SER PRÓSPERO

Pastor Edson Santos (Antonio Edson de Almeida Santos)
Serralheiro dos 14 aos 42 anos, casado e pai de cinco filhos (um vítima de chacina promovida por um grupo de extermínio), formado em Contabilidade e Direito, o Pastor Antonio Edson é advogado atuante, pastor evangélico e fundador da Igreja Suprema A Palavra de Deus (www.igrejasuprema.com). Escreveu os seguintes livros: O caráter de Deus no Homem, Qual a dimensão do seu perdão, Essa fé te basta e 7 passos – Caminhando com Deus para ser próspero”. Seus esforços sempre foram direcionados para a evolução pessoal e desde 2010 tem buscado o conhecimento do Evangelho através da fé, ou seja, entender melhor a cada dia a linha tênue entre o Espírito de Deus e o homem por meio da Palavra de Deus.

A verdade é uma só: Deus. Muitos, por viver na ignorância em ambos os sentidos – humano (forma da terra) e espiritual (forma celestial) –, acreditam que basta trabalhar muito (mas muito mesmo!) que conquistarão tudo que desejam. Com isso, porém, tudo que se consegue é apenas um esgotamento físico e mental sem precedentes e nenhum engrandecimento material, muito menos espiritual.
É necessário ter em mente que ninguém alcança coisa alguma nesta vida terrena sem antes compreender e pôr em prática os ensinamentos deixados para nós (povo da terra) pelos salvos de Deus (anjos celestiais) quando aqui viveram. Tudo está ao nosso alcance, inclusive a prosperidade que todo homem busca, mas, para conquistá-la, é preciso obedecer e praticar os ensinamentos sagrados das Escrituras, conforme escritos e ungidos nesta obra 7 passos – Caminhando com Deus para ser próspero. 
Durante a leitura que você entenderá que é preciso deixar de viver na forma humana, ainda que viva na terra, para viver e receber de Deus (anjos celestiais) todas as bênçãos, em especial a prosperidade. Esta obra lhe trará uma visão nova, ou melhor, a vida que você há tempos vem buscando insistentemente e sem êxito em todas as áreas da vida, em especial a familiar, sempre atingida por falta de condições financeiras e de saúde. Portanto, se você agir e seguir com obediência os ensinamentos do Senhor Jesus, quando de passagem pela terra, alcançará a prosperidade. Agora é com você e Deus.

Olá Pastor Edson. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro se refere aos milagres de Deus relativo a prosperidade espiritual e material, que ainda hoje como ontem acontece da mesma forma quando se crer. Não houve uma ideia para escrever e sim uma direção de Deus quando do título 7 passos caminhando com Deus para ser prospero originou o livro. Em relação ao público, tudo que posso dizer é, que todos que de alguma forma crer no nome de Jesus Cristo, será o público principal e o destino da obra.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Não tenho tanto a falar de mim mesmo, porque acredito que todas as coisas só acontecem por dádiva de Deus, mas, em relação aos projetos no mundo das letras estão ligados ao mundo que só se ver pelos olhos do Espírito, tanto que esta é minha primeira obra, pois antes desta, escrevi O caráter de Deus no homem, Qual a dimensão do seu perdão, Essa fé te basta, e hoje 7 passos caminhando com Deus para ser prospero atualmente estou terminando de escrever a quinta obra, basta aguardar para ver.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Quanto a vida de escritor ainda não tenho muito a dizer, mas, mim sinto feliz por estar enveredando nesse mundo que poucos ver, por outro lado, não carrego comigo qualquer preocupação em relação a vivermos em um País que as pessoas ainda não tem o hábito da leitura, mas como tenho sempre dito, todas as coisas acontecem em seu tempo, e nós não dominamos o tempo, quando mais a vontade de cada pessoa.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através de pesquisa na Internet quando entre várias Editoras escolhi a Scortecci Editora pelo fato desta no mesmo ano que foi escrito o livro Essa fé te basta a Scortecci Editora ter completado 33 anos da sua fundação (idade de Cristo), foi esta a razão da escolha.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?

Sim, com muita convicção, visto que trará paz ao coração daquele que ler e crer. Mensagem: Se você permitir que Deus entre e habite por completo em sua vida, todas as coisas que você leitor buscar, Em especial ao caso a Prosperidade Espiritual e Material com o tempo você irá receber e assim, construir o Caráter de Deus, só depende de cada um.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Entrevista com João Gomes da Silveira - Autor de:TROVEJO DE TROVAS

Nascido no sítio Canadá, município de Redenção, CE. Certamente por questão de acesso, seu pai registrou-o em Maranguape, terra do historiador Capistrano de Abreu e do humorista Chico Anysio.
Partícipe da Antologia Grupo A. G. U. I. A. (Amigos Unidos Incentivando as Artes, RS), da primeira edição (2009) até 2012.
Publicou Dicionário de expressões populares da língua portuguesa (Martins Fontes, 2010), Bichos intrometidos na boca do povo [Travassos Publicações, 2013/ 2016 (2ª edição)], Cem sonetos insubmissos (idem, 2014), Sonetos em revoada (idem, 2015), Expressionário de falas populares (Scortecci, 2015), As figuras de estilo e termos afins (idem, 2015) e Clarinada de sonetos & outros poemas (idem, 2016).
Tem inédito, na gaveta, Glosario esencial del español popular (bilíngue) e Poesia para a garotada. Pós-graduado em Língua Portuguesa.

Trovejo de Trovas
A trova, também dita quadra ou quadrinha, traz fortíssimo apelo e preferência populares. Grandes poetas, de Camões a Fernando Pessoa e Drummond, todos a cultivaram. Entre tantos trovadores brasileiros, citemos Adelmar Tavares, Amadeu Amaral, Belmiro Braga, Antônio Sales e J. G. de Araújo Jorge.
Trovejo de Trovas, o novo livro de João Gomes da Silveira, é uma coletânea de trovas, uma antologia, no sentido de coleção de textos poéticos. São mais de novecentas trovas rimadas, alternadamente, em estrita ordem alfabética, com versos que seguem o rigor da métrica tradicional, em septissílabos, ou redondilhas maiores, e abordam variados assuntos: amor, bêbado, educação, medo, saudade, tédio etc.
Nesta obra, o lúdico, o jocoso e propriamente o poético se aparceiram, de mãos dadas, fazendo o leitor se emocionar e refletir, rir e chorar, imerso então que se percebe no vasto mundo que o autor nos apresenta.

Olá João. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Este livro atual trata com exclusividade de trovas.
Como rabisco diversos gêneros de composições poéticas, também fui garatujando algumas trovas, até que deu em um volume de razoável tamanho de 172 páginas.
A obra se destina a todos que admiram a Poesia, em particular aos trovadores e suas associações espalhadas pelo País. Texto leve, de leitura rápida, em geral centrado um num tema, ou assunto, é uma composição lúdica e a todos muito agradável.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
TROVEJO DE TROVAS é o nosso oitavo livro. Tenho mesclado linguagem, algo relacionado com as expressões idiomáticas, alternando com alguns opúsculos de poemas.
Sou apenas um diletante, não a veleidade nem sonhos condoreiros de tornar-me um escritor, mas, ao aposentar-me, fui tecendo algo paulatinamente e não pretendo parar. Há muita matéria escrita na gaveta, digo, no micro (risos).

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Muito se falava que  o Brasil é um país que não lê. Isso mudou muito, o fato é que se o livro tem qualidade vende. Vender, entre aspas, no sendo de que será bem aceito. O mercado livreiro e editorial, hoje, é muito fecundo.
Repetindo Fernando Pessoa, penso que Navegar é preciso, os realmente bons autores terão sempre lugar ao sol e as editoras, idem.
Falo dos bons romancistas, dos bons poetas e contistas, dos bons cronistas etc.
Como diletante, repito que sem veleidades condoreiras, nossos livros são apenas contribuições sofríveis às letras.
Na minha pequenez, se tivesse que lhes dizer qual o nosso carro-chefe, apontaria o que publicamos primeiro -- o Dicionário de expressões populares da língua portuguesa, um catatau de 980 páginas, já com razoável lastro na praça.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Cheguei à Scortecci pela internet, após já haver publicado quatro tomos por duas outras editoras. Ressalto a extrema organização dessa casa publicadora, onde tudo em editoração decorre com capricho e esmero.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Penso que o livro é legível, sim, ou melhor dizendo, pode e deve ser lido por amantes da trova, os bardos e menestréis em geral, mas também pelo público apenas ledor, amante da leveza e literatura lúdica, posto que uma trova -- toda ela -- está envolta em somente quatro versos.
No nosso livro o leitor achará motivo para, dentre as quase novecentas trovas nele existentes, com temas os mais variados, para algum deleite de bons instantes Em ordem alfabética, caros leitores, vocês degustarão assuntos nominados, em trovas, como amor, amizade, saudade, solidão, tristeza, e muito mais.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Entrevista com Karine Gualter - Autora de: LIVRE, LEVE E SOLTO

Karine Maria Gualter Correia, estudante do 7º ano do ensino fundamental, que sempre gostou de ler, tendo agora seu primeiro trabalho publicado.

Livro escrito por uma criança de 11 anos, de caráter infantil, que trata da criação indevida de pássaros em gaiolas e visa conscientizar as pessoas para o fim desta forma cruel de relação humana com a natureza.

Eu era um pássaro que não tinha muito, pois vivia preso em uma gaiola. Todos os dias eu via meus amigos voando, brincando, e alguns ficavam zombando de mim, mas eu tinha esperança de que um dia iria sair dali e sentir o vento de verdade.

Olá Karine. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro conta a história de um menino que criava pássaros presos em gaiola e um amigo que tenta conscientizá-lo para soltá-los.
Eu não gostava de vê os animais presos por onde passava.
Outras crianças como eu.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Esse é o primeiro de muitos, eu espero. Tenho o sonho de escrever muitos livros e, já estou pensando na história para o próximo.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não sei dizer! Adoro lê, minha leitura predileta é a coleção diário de um banana. Assim, acredito que estou fazendo minha parte, sendo diferente e gostando de ler e escrever.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Meus pais que entraram em contato.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Tenho apenas 11 anos e gostaria que as pessoas ao lerem meu livro se conscientizassem e parassem de criar pássaros presos em gaiolas.


Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Entrevista com Rossidê Rodrigues Machado - Autora de: PENSAMENTOS, FÉ, VIDA ; FACES DO COTIDIANO ; UNIVERSO DA CRIANÇA EM POEMAS

É  goiana, reside em São Vicente-SP. Mestre em Educação; autora de seis livros solo (Poesia, Pensamento, conto e crônica), todos publicados pela SCORTECCI; participação em mais de três dezenas de antologias literárias; prêmios literários (medalhas de ouro, prata, bronze e Menções Honrosas). Atualmente também publicando livros infantil e ilustrando suas próprias obras. É autora de um Projeto autônomo de Educação Ambiental, o qual envolve a arte e a escrita.



Universo da criança em poemas
Universo da criança em poemas. Um livro de literatura infantil, um conteúdo que envolve o físico e um olhar poético, tem por objetivo emocionar os pequenos e os adultos pela linguagem e a mensagem. Uma ilustração que também encantará o leitor de todas as idades.
A Terra, um astro que ama passear. Vive circulando pelo ar. Ela tem passaporte? Quando o sol surge, fica tão clarinha. Noite! As estrelas jamais a deixam sozinha!


Faces do Cotidiano
É o quarto livro da escritora, sua primeira incursão no terreno de contos e crônicas. Os 31 textos reunidos nesta obra são narrativas do cotidiano, testemunhadas, inspiradas ou ouvidas pela autora, cujo foco reside nas pessoas e seus desejos, sentimentos, sonhos, aflições e alegrias. São histórias que buscam oferecer momentos de prazer aos leitores e, assim, neles despertar e consolidar o hábito da leitura e contribuir com o conhecimento e a cultura do país.

É uma obra literária de bolso que apresenta mais de cinco dezenas de diminutas frases. São pensamentos e inspiração do cotidiano da autora, com o objetivo de proporcionar uma leitura breve, mas prazerosa e reflexiva: um estímulo à fé, à auto-estima, à valorização da vida. É um livro destinado à biblioteca, à estante, à cabeceira e, por ser de tamanho reduzido, é perfeitamente manuseável. Suas mensagens envolventes e de energia positiva são um impulso ao alento espiritual, ao otimismo, à realização humana e pessoal. Certamente, um importante aliado para você, leitor, em qualquer momento.

Olá Rossidê. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Meu livro, Pensamentos Fé Vida, é um a publicação com mais de dez dezenas de pensamentos de minha autoria, reflexões do cotidiano. Surgiu de minha inspiração diária, motivando-me a lançar este livro que são mensagens voltadas ao público adulto, mas também deve ser lido pelo público jovem e juvenil.
Faces do cotidiano é um livro de contos e crônicas. São Narrativas inspiradas ou ouvidas pela autora, cujo foco expressa nas pessoas e seus desejos, sentimentos,aflições e alegrias. Por ser interessantes, a ideia de escrevê-lo foi transformá-las em obras literárias e publicá-las em um livro. Se destina a todos os públicos, pois ler ou ouvir histórias é prazeroso e enriquece o vocabulário, a cultura.
Universo da criança em poemas é um livro de literatura infantil. Uma inspiração para participar de um convite da Scortecci, lançamento na confraternização do final do ano. Uma obra literária em verso que cativa emociona pela narrativa, pela ilustração, pela poesia. Poemas para ser lidos e declamados pelo pequenos, toda a família.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Estou no mundo das letras pela vocação e pela paixão. Pensamentos Fé Vida é o meu terceiro livro, mais um sonho realizado e com muitos projetos para o futuro. A literatura me inspira, faz parte da minha vida.
Faces do cotidiano é o meu quarto livro. Escrever é um trabalho prazeroso e gratificante que me impulsiona sempre a novos projetos literários. Sinto que o meu sonho não e apenas plantar uma árvore, mas cultivar uma floresta literária.
Universo da criança em poemas é o meu sétimo livro solo e o segundo de literatura infantil. Cada publicação é uma satisfação, uma emoção maior. Sempre a motivação, o entusiasmo para uma próximo projeto, uma nova obra.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
A literatura me inspira, me dá prazer de viver. Meu lucro é a minha realização pessoal e cultural. Estou fazendo a minha parte, leio, escrevo, publico, divulgo, procuro ser o exemplo de que a leitura, a cultura vale a pena.
O escritor tem que ser o exemplo de motivação e divulgação da cultura, tentar mudar esta estatística, este cenário de poucos leitores e de leitura pouco valorizada.
Um Brasil de poucos leitores e leitura pouco valorizada é uma realidade que o escritor deve proporcionar alternativas de estímulo à leitura e de um novo conceito sobre a cultura. Uma nação se constrói, se evolui com conhecimento, com a leitura.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Recebi um e-mail da Scortecci pela internet. Uma surpresa que chegou no momento em que eu sonhava publicar um livro solo. Sou grata à Scortecci por me proporcionar esta oportunidade, hoje tenho 7 (sete) livros publicados, todos pela Scortecci. Uma felicidade enorme! Uma satisfação. Sou fã da Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Pensamentos Fé Vida merece ser lido por ser cultura, por ser mensagem, reflexão que traz um impulso, uma energia positiva para o dia a dia.
Faces do cotidiano são histórias que buscam oferecer momentos de prazer aos leitores, e, assim, despertar e consolidar o hábito da leitura e contribuir com o conhecimento e a cultura.
Universo da criança em poemas é um convite a uma leitura em poemas que tem por objetivo cativar e emocionar pela narrativa e pela ilustração. Inspiração para ser lida, declamada e admirada pelas crianças e pessoas de todas as idades.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►