sábado, 3 de dezembro de 2016

Entrevista com Francisco Epifânio Ferreira - Autor de: POESIAS EPIFÂNICAS


Nasceu em Campo Maior, Piauí, em 1964. Filho de uma família com seis irmãos, foi criado por seus avós maternos. Sua avó Rosa era parteira de mão cheia e ajudou muitas crianças a virem ao mundo. Epifânio a ouvia sempre, muito alegre, declamar poesias, rimas e versos a cada acontecimento ou momento especial. Seu avô, também alegre e brincalhão, não ficava para trás, sempre cantando por onde passava cantigas de bumba meu boi repletas de rimas. Inspirado e apoiado pelos avós, aos doze anos escreveu seu primeiro poema. A partir daí se apaixonou pela palavra e começou a ver beleza e poesia em tudo. Mais tarde esses poemas o ajudaram a conquistar sua segunda paixão: sua esposa Francimar. Concluiu o segundo grau em São Luís do Maranhão e então seguiu para uma vida de trabalho e desafios profissionais e pessoais na capital paulista, onde atualmente trabalha como técnico de ar condicionado. Os desafios de São Paulo não mudaram o Epifânio, que ainda hoje anda com os seus cadernos de rascunho para sempre registrar, em forma de poesia, sua maneira particular de ver a vida. Este livro é a realização de um sonho há muito tempo alimentado.
Claudia Maria Lopes

Conheci o Epifânio em um dia de muito calor! [...] Laços de amizade estabelecidos, começamos a conversar com mais frequência sobre seus poemas. Como ele se inspirava, quando escrevia, onde registrava e quantos eram os poemas, se havia incentivo por parte da família, amigos, etc. Em uma destas conversas descobri que seu maior sonho era publicar um livro, mas ele não tinha a menor noção do processo e dos custos envolvidos e achava que seria difícil realizar esse sonho. Eu pensei comigo mesmo: 
– Vamos dar uma olhada se podemos ajudar em alguma coisa. Foi nesse momento que este livro começou a existir [...]. Falamos do nosso projeto com o Epifânio, que ficou muito contente e ao mesmo tempo com medo. Várias vezes antes já haviam tentado ajudá-lo e nunca conseguiram chegar até o fim. Será que desta vez seria diferente? [...] Quase um ano depois, podemos dizer ao Epifânio:
– Desta vez foi diferente! Este sonho não precisa mais ser sonhado, pois hoje é realidade. A partir de agora, Epifânio, você pode começar a sonhar um novo sonho...
Luiz Garcia Escórcio

Olá Francisco. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Poesias. Criando um clima mais alegre no dia a dia de trabalho.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Tenho 4 livros, três filhos e já plantei Árvores.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Uma espécie de terapia. Viver sempre a sonhar com os sonhos não criar tantas expectativas financeiras.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Lendo livros de Escritores da editora.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Eu creio que em toda leitura feita seja de escritores renomados ou não, temos algo a ganhar aprender ou exemplos a seguir.

Obrigado pela sua participação.

Leia Mais ►

sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Entrevista com Nilceu Francisco de Lima - Autor de: SOB MEDIDA

É filho de Pedro Francisco e Aparecida Romana Francisco, ambos (in memoriam). Nasceu na cidade de Tapiratiba, aos 11 de julho de 1956. Foi criado, desde os 4 meses de idade, em Caconde; reside em Campinas, desde 1976. Cidades paulistas. É professor e jornalista.
Os dias representam para mim, constantes desafios: sempre busco a maneira que considero essencial para enfrentar cada um deles, visto que a vida é alimentada de ações, das quais realizamos no dia a dia. 
Não esqueçamos que é impossível viver o presente, sem a experiência do passado, mesmo que mínimo; e desprezar os sonhos para o futuro.

Este livro destina-se especialmente a você que pretende ampliar seus conhecimentos literários e a todos que fazem da leitura o hábito mais prodigioso de um ser.  A obra foi escrita por um admirador da vida e da fertilidade amorosa, que consegue absorver uma gota de orvalho como se fosse uma fonte de água potável para saciar a sede e alimentar o amor. Escrever não é colecionar palavras; e sim, fazer delas um instrumento capaz de proporcionar emoções, satisfazer o eu, e declarar ao Universo, indiretamente, o quanto é possível amar, e perpetuar esse sentimento, que é incapaz de findar-se, enquanto os corações permanecerem abertos ao novo, e fiéis à essência de cada um de nós.

Olá Nilceu. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Trata-se de uma obra estritamente romântica, que surgiu do fundo da alma e amadureceu. Cada um dos textos narra uma situação que reflete o nosso cotidiano, independentemente da idade do leitor. São poemas de amor, regados de paixão, simplicidade, esperança, e realizações.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Não posso negar que é um sonho de grande realização para mim. Sempre me interessei por leituras e escritas. Produzia vários modelos de cartas entre famílias, rádios e os famosos versinhos de Correio Elegante. Resolvi, aos poucos, aprofundar os rabiscos, transformei os mesmos, em textos; e continuo. Desejava um dia publicar ao menos alguns. É minha primeira obra em forma de livro, de várias, que pretendo lançá-las.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Nosso país está carente de políticas públicas eficazes para despertar nos jovens, principalmente, os anseios por leituras. Há outras situações que ainda não foram detectadas e trabalhadas, em forma de parceria, para beneficiar quem escreve e quem lê; como por exemplo a riqueza tecnológica e o que ela oferece ao mercado. Nas escolas, basta equipar as salas de aula, preparar os professores, conciliar os projetos pedagógicos com as aulas em si. É uma questão de querer e saber explorar a inteligência dos alunos. Fora das Unidades Escolares, há os que preferem alguns modelos de leituras, mas carecem de algumas dinâmicas, motivações, exemplos oriundos do mundo virtual, campanhas publicitárias em torno do tema, concursos envolvendo poemas, crônicas, romances etc.
O momento atual não condiz com a necessidade diária dos brasileiros, que seria o anseio pela descoberta, a busca para melhorar o conhecimento, em geral, e ratificar a qualidade intrínseca em cada um.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Há alguns anos acompanho, de longe, parte dos serviços da editora, ensaiei enviar algo, pesquisei; e agora, resolvi.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O livro contém 50 poemas, e tenho certeza que algum fala diretamente a linguagem de cada leitor(a). Considero este um bom motivo para lê-lo.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Entrevista com Valdir Cecil Schirmer - Autor de: O HERÓI DE WALDLAUBERSHEIM

Nasceu no Rio Grande do Sul; é advogado, fundador de duas instituições religiosas, Mestre da Maçonaria e membro do Rotary Club, entre outros. Hoje atua apenas como palestrante e escritor. Reside em Arraial da Ajuda, Porto Seguro, Bahia.








A obra conta a história dos imigrantes europeus, principalmente alemães, e suas dificuldades. Inicia com as Guerras Napoleônicas, das quais muitos participaram, a propaganda brasileira convidando imigrantes para colonizarem o Sul do Brasil, a viagem; doenças, mortes e toda sorte de dificuldades iniciais, bem como o destino de alguns dos imigrantes e seus descendentes. O herói que gerou o nome do livro, é GEORG SCHIRMER. A localidade de origem, é WALDLAUBERSHEIM, na Alemanha. A época é o final dos anos 1700 a 1826, data da saída da Europa e ingresso no Brasil.


Olá Valdir. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Trata-se de um livro histórico romanceado, inspirado em fatos reais. A ideia surgiu de um amigo alemão que solicitou que eu escrevesse a história da imigração germânica, com seus diversos desdobramentos, com ênfase nos meus antepassados, que são da mesma aldeia medieval desse amigo. Inclusive fui convidado para participar das festividades de comemoração de 1250 anos de fundação da localidade, no ano que vem, e lá lançar o livro em alemão. O público a que se destina é geral, pois a todos deve interessar a construção de nosso país, mas em especial aos descendentes desses combativos e corajosos imigrantes.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Este é o meu terceiro livro, e pretendo continuar escrevendo. Já tenho agora várias árvores plantadas, três livros escritos e sete filhos para os lerem.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Eu consegui através das redes sociais formar uma carteira de amigos-clientes muito sólida e suficiente para absorver a quantidade de livros que eu publico. Assim como a TV não acabou com o rádio, o livro impresso também será eterno. Há poucas coisas tão agradáveis quanto manusear um exemplar de um bom livro. Esse contato transita entre o lúdico e o sagrado.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Fiquei sabendo da Scortecci como empresa conceituada, através de pesquisas sobre editoras confiáveis e realmente interessados não só em obter lucro, mas em se relacionar de forma interessada e respeitosa com o autor.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Comparando com muitas publicações que vi, e eu leio muito, eu me convenci de que o meu livro merece muito ser lido, porque tem história, tem qualidade e tem beleza. A mensagem para os meus leitores é de que adquiram esta obra para dirimirem a dúvida a respeito de que autor devem prestigiar doravante com a certeza de obterem boa leitura.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Entrevista com Nancy Lustosa Barros Hirsch - Autora de: VALE DAS LUAS

É carioca, arquiteta e jornalista. Gosta de contar histórias, é leitora voraz e cria cavalos. Seus romances têm como cenário o ambiente rural e as famílias que o frequentam.








Diana Queirós dá um boi para não entrar numa briga e uma boiada para não sair dela. O marido vive no mundo da lua – quase literalmente. A filha é mimada e sem noção. Ela está desempregada e se muda para o sítio leiteiro tocado pela sogra. Maior provedora da família, Diana tem que fazer estes três personagens entenderem que as finanças precisam ser revistas. Através da narrativa, o romântico brilho da lua suaviza a luta contra os humores da natureza, pela preservação do precioso alimento branco e líquido.




Olá Nancy. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
No romance, a executiva Diana Queirós perdeu o emprego e precisa equilibrar as finanças da família. Ao fazer suas contas, percebe o rombo que o sítio leiteiro da sogra provoca no orçamento. Ela tem que tomar providências, mas há o pequeno probleminha de que a sogra não é amiguinha dela, nem um pouquinho. O contraste entre as experiências urbanas e rurais fica bem evidente e o leitor vai torcer para que Diana consiga superar os obstáculos que se apresentam. Ao mesmo tempo, a jovem Laila Queirós, filha de Diana, impetuosa, mimada e inconsequente mete-se numa grande enrascada e acaba por ter seu coraçãozinho despedaçado. Será que ela vai conseguir se recuperar e encontrar o amor verdadeiro? A ideia surgiu quando acompanhei a história real de uma herdeira de cabeças de gado que não tinha experiência alguma com a atividade leiteira: foi um aprendizado longo e tortuoso até que tudo se normalizasse. Por ser um romance, o maior público é o feminino, jovem adulto.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Gosto de contar historinhas e Vale das Luas é meu quinto romance, além de dois contos publicados. Já tenho anotações para o próximo!

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
A vida de escritor não é um mar de rosas e esta realidade não é só brasileira, mas aqui é nosso mercado e somos atingidos diretamente. É preciso desenvolver o gosto pela leitura desde cedo, vai ler aquele tiver o exemplo desta atividade em casa. Portanto, sendo possível, meus presentes serão livros, tanto para adultos quanto para crianças. Por outro lado, aquele que nasce para escrever sempre terá o prazer neste exercício. Depois de pronta a obra, vem a etapa de publicá-la e encontrar a editora ideal ao final da procura é outra alegria. Por fim, a venda do primeiro volume também é muito gratificante. E assim, superando cada fase, a gente se sente feliz.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Eu havia anotado o contato com a editora quando de minhas pesquisas para publicação de meus livros e um amigo a recomendou.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O livro é para quem gosta de romance com uma pitada de aventura e uma colher de chá de humor. Ao querido leitor: são apenas 230 páginas, a linguagem é coloquial, as ideias têm princípio meio e fim, o personagem poderia ser o rapaz que atravessa a rua e os cenários são bem brasileiros. Divirta-se!

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

terça-feira, 29 de novembro de 2016

Entrevista com Washington Luis de Resende - Autor de: O BIGATO DA GOIABA

Nascido na cidade de Barretos e morando em São Paulo há mais de trinta anos, escrevia poesias desde a adolescência, tendo publicados dois livros (O trem dos meus dezoito anos e Amor na tecla pause) com esse tema. Agora aposentado, resolveu aventurar-se em um romance retratando a sociedade ainda muito conservadora, nos inesquecíveis anos oitenta.





A descoberta de uma carta anônima traz à tona uma história de amor vivida há mais de trinta anos, no começo dos anos oitenta, quando um adolescente se vê diante da síndrome do amor pela professora e não deixa que fique somente no imaginário. Ele ignora a sua condição de casada, com quatro filhos, ao lhe confidenciar o sentimento enviando cartas anônimas e poesias. Sentindo-se emocionalmente negligenciada no casamento, ela se encanta com os textos apaixonados e começa a nutrir um amor pelo autor desconhecido. O que fazer quando descobre que é praticamente um garoto, e seu aluno? Lutar contra todos os parâmetros morais rígidos com que fora criada e se entregar ao amor que idealizava desde menina? Ignorar tudo e permanecer na mesma estrada que já traçar a no seu destino? Uma mulher mais velha pode amar um homem mais novo livremente?

Olá Washington Luis. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O bigato da goiaba é uma história de amor entre um adolescente e uma mulher casada, de 30 e poucos anos, ambientada nos anos oitenta e rediviva com a descoberta casual de uma carta anônima em 2013. A narrativa transita entre o passado e o presente trazendo à tona os conflitos emocionais de ambos ao perceberem que o amor não vai aceitar ficar trancafiado no porão dos amores impossíveis. É um drama em que os improvisos da vida, vêm questionar escolhas e convicções, onde razão e emoção travam uma batalha constante. Quis escrever uma história de amor, mas diferente, em que a mulher é bem mais velha, para mostrar que a paixão não tem nenhuma lógica e nenhuma verdade é absoluta. Quis fugir dos clichês, mas o que é o amor, senão o maior dos clichês? É uma ficção romântica para adultos, com um leve erotismo, quase sublimado.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
O bigato da goiaba é o meu terceiro livro, porém, o primeiro em prosa. Já havia escrito anteriormente dois livros de poesias, (O trem dos meus dezoito anos e Amor na tecla pause), e quis testar a minha capacidade em desenvolver uma história que não dependesse apenas de inspiração, mas de um trabalho quase diário. A poesia está inserida em O bigato da goiaba no fim de alguns capítulos, fechando-os, fazendo parte do contexto. A minha intenção é no ano que vem, 2017, escrever outro romance.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
A vida de escritor no Brasil é muito difícil, por isso, escrevo por puro prazer, pensando sempre em atingir muitos leitores, porém não me iludindo com isso. Os autores nacionais não são valorizados e as grandes editoras preferem sempre autores estrangeiros ou celebridades, infelizmente.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Já conhecia a editora e alguns livros lançados por ela, mas tive um contato mais direto com uma representante na Bienal de São Paulo de 2016. Com um cartão e o prospecto em mãos, enviei um e-mail e daí as coisas caminharam rapidamente, pois o livro já estava finalizado.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Eu o leria, com certeza, mas o feedback dos leitores é o mais importante, sempre. Toda história de amor contada sempre nos ensina alguma coisa, mesmo que seja nas entrelinhas.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Entrevista com Sergio Burdelis - Autor de: EM BUSCA DA REALIZAÇÃO PESSOAL

Engenheiro eletrônico, pós-graduado em administração na Fundação Getúlio Vargas, mestre em gestão de equipes pela Fecap, cursos de especialização em Terapia Organizacional, 35 anos como gestor da qualidade em empresas de telecomunicações, facilitador e consultor do Sebrae, sócio da Empresa Fluir consultoria em qualidade e desenvolvimento humano.


No papel como pai, amigo, cidadão, gestor e consultor, procuro alertar as pessoas sobre o arrastro social e despertar a centelha da busca do que realmente é importante para elas como Seres Humanos. Para isso utilizo a mesma linguagem que aprendi com minha família e amigos no meu dia a dia, nas aulas e nos eventos que realizo. Sempre consegui alcançar o meu propósito no meu âmbito de atuação. Nos últimos anos, as pessoas me solicitaram que eu escrevesse sobre o tema Realização Pessoal, mantendo a linguagem que eu sempre utilizei. Este livro, busca alcançar o que me solicitaram. Através dele, tento reaver os sonhos reais das pessoas. Alerta-las sobre as artimanhas da mídia, que utilizam todos os métodos possíveis para criar desejos, alguns muito difíceis de serem alcançados. Alertá-las também sobre a necessidade de sempre agir com caráter para que a conquista seja duradoura. Procuro ensinar métodos e meios eficientes para alcançar seus verdadeiros objetivos de vida e finalmente questionar o que realmente é a realização pessoal.

Olá Sergio. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Desde a infância o tema, o qu e vou ser quando crescer, sempre me preocupou. Foi agraciado por uma família que gostava de conversar utilizando uma linguagem muito acessível e especial: provérbios, parábolas e contos. Durante minha vida particular e profissional pude notar que as pessoas cumprem protocolos sociais que as levam a ser o que a sociedade cobra que elas sejam. Esse envolvimento, na maioria das vezes, leva as pessoas no final da vida a sentirem uma profunda frustração de não terem realizado o que realmente pretendiam ou de não terem, realmente, aproveitado a oportunidade de desfrutar a maravilha de estarmos nesse plano de existência. No papel como pai, amigo, cidadão, gestor e consultor, procuro alertar as pessoas sobre o arrastro social e despertar a centelha da busca do que realmente é importante para elas como Seres Humanos. Para isso utilizo a mesma linguagem que aprendi com minha família e amigos no meu dia a dia, nas aulas e nos eventos que realizo. Sempre consegui alcançar o meu propósito no me u âmbito de atuação. Nos últimos anos, as pessoas me solicitaram que eu escrevesse sobre o tema Realização Pessoal, mantendo a linguagem que eu sempre utilizei. Este livro, busca alcançar o que me solicitaram. Através dele, tento reaver os sonhos reais das pessoas. Alerta-las sobre as artimanhas da mídia, que utilizam todos os métodos possíveis para criar desejos, alguns muito difíceis de serem alcançados. Alertá-las também sobre a necessidade de sempre agir com caráter para que a conquista seja duradoura. Procuro ensinar métodos e meios eficientes para alcançar seus verdadeiros objetivos de vida e finalmente questionar o que realmente é a realização pessoal.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
É o primeiro de muitos, o segundo já está no forno.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Se o escritor depender dessa atividade para sobreviver e não for uma pessoa de destaque no cenário nacional ou internacional, terá uma vida miserável.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através de um amigo que já publicou na Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Meu livro merece ser lido sem a menor dúvida. Quem deseja evoluir como um Ser Humano e se sentir realizado após essa incrível viagem que é a vida, encontrará no livro, sem dúvida alguma, um momento de reflexão na busca desses objetivos.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

domingo, 27 de novembro de 2016

Entrevista com José Antonio Ribeiro - Autor de: PROCURANDO NOSSAS RAÍZES

Nascei em 7 de fevereiro de 1953 em São Paulo, SP.
É médico formado pela Faculdade de Medicina da Pontifícia Faculdade Católica de São Paulo, em 1978, com especialização em neurologia e neurocirurgia, tendo exercido suas funções na Prefeitura de São Paulo de 1980 a 2013, no Hospital do Servidos Público Municipal e no Hospital Municipal Arthur Ribeiro de Saboya, além de atividades em clínica e hospitais privados.

Por que temos pelo que é amigo, pela história, especialmente pelos nossos antepassados?
A resposta a esta perguntas pode estar nas influências arquetípicas, vívidas, que nos seduzem, e o desejo de torná-las conscientes, o que justifica esta busca às nossas raízes, a nossa ascendência.
Este livro conta o que experimentamos através do contato com pessoas e locais onde nasceram nossos antepassados, resgatando traços das suas vivências, que chegaram até a atualidade pela educação que recebemos de nossos pais e culturais dos povos que nos antecederam.

Olá José Antonio. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Trata da procura dos meus ancestrais na Itália a ideia surgiu pelo desejo meu e de minha esposa de conhecermos a terra dos nossos bisavós em comum (somos primos em terceiro grau) o público a que se destina esta obra é aquele interessado nesta busca das nossas raízes, dos nossos ancestrais, através da genealogia.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Tenho outros projetos como escritor, não pretendendo terminar em um só livro.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Na verdade eu tenho como profissão a medicina, portanto não vivo de escrever livros. Concordo que é pouco valorizada a profissão de escritor, mas tudo aquilo que se faz com vontade e prazer vai dar um resultado positivo no futuro.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Fui apresentado a esta editora por uma amiga Alessandra Ruiz que já tinha tido contato anteriormente com a Scortecci.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Acredito que meu livro mereça sim ser lido, porque conta uma série de aventuras pelas quais passamos até culminar com o encontro de parentes na Itália, que nos receberam com muito carinho. Assim resgatamos a memória dos nossos ascendentes, e como não cultuar e amar aqueles que lutaram por nós, sofreram por nós, choraram por nós, morreram por nós? Quantos santos pensamentos dirigiram em nossa direção?
Deixo como mensagem aos meus leitores a seguinte frase: viver no coração dos pósteros é não morrer.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

sábado, 26 de novembro de 2016

Entrevista com Gerson Lourenço - Autor de: PAUPERRIMIA

Gerson Lourenço
Nasceu em Divino de Virgolândia – MG. Possui mestrado em Literatura e Crítica Literária pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUC-SP (2012), graduação em Pedagogia pela Universidade Bandeirante de São Paulo (2007), especialização em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira (2006) e graduação em Português e Inglês (2001) pelas Faculdades Integradas Teresa Martin. É poeta, compositor, escultor cauilinista e coordenador nacional do Projeto Poetas Inocentes. Lourenço tem dois trabalhos fonográficos: um long-play, Vida Nova (1992), e o CD Sino da Catedral (1999), além de várias composições prontas para o próximo CD Pinxana. Publicou 15 antologias poéticas denominadas Poetas Inocentes e Poetas Inocentes Master, ambos lançados em bienais do livro, como: Bienal Internacional do Livro de São Paulo, Bienal Internacional do Livro de Minas Gerais (2008, 2010, 2012, 2014), bem como na Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro (2009, 2011, 2013) e é também autor do livro teórico de Literatura e Crítica Literária, O jogo poético: beleza e monstruosidade (2014). Contato com o autor
Blogs:

Os amantes da poesia, que aguardavam ansiosos o livro Poetas Inocentes, agora serão presenteados com a obra Pauperrimia, de Gerson Lourenço, o organizador e idealizador das antologias poéticas Poetas Inocentes e Poetas Inocentes Master. O leitor o receberá com gratas surpresas, uma vez que o livro traz um instigante manifesto denominado Cauilinismo e finaliza com um enigmático poema concreto que presentificam a vida e a poesia em tempo de uma democracia fragilizada. Entre a vida e a poesia, o poeta, diante do caos, propõe uma operação cirúrgica à aclamada democracia em estado de choque e mantidas por MPs antidemocráticas. Frente a isso, o poeta brada: há de se libertar e de se igualar a todos por meio de uma educação capaz de ser rio corrente, e não, asas acorrentadas. Para além do manifesto, o livro explode numa forte lufada de belos poemas em que o mundo de Alice atiça delírios num jardim de flores brancas de uma vida que se abre. Mas a poesia, desde Baudelaire, nos diz que as flores do mal também grassam e é o que vemos em Mundo Imundo, que aqui não lembra o Raimundo drummondiano, e sim, a triste procrastinação d’nós porque nunca libertaram ao servo de servir ao senhor cruel. Nada de viva as isabeis! Há, então, que se ter cuidado, porque o buraco é mais embaixo, o buraco é sem fundo e ele está na educação, na saúde, na segurança e tudo vira uma lambança. O poeta segue a poetar e apresenta uma escola desafinada e também uma escola de cabresto. Há nelas, claro, desarmonia musical, alienação e até inquisição. Mas, com doçura e diabrites, o poeta, ao desmembrar a palavra, brinca com sílabas e cria inusitadas rimas. E nas linhas e entrelinhas, o poeta segue as novas da terra brasilis. Diante disso, o impeachment poético principia rumo aos ais de um pseudo progresso que estupram nossas crianças ao cercear as esperanças delas e de nós. E brada novamente: será que a tevê te vê? Curta e cortante a pergunta do poeta nos tira do ar. O que mais falta, poeta? Chega de tanto nos humilhar, chega de esperar porque a putrefação dos quatro poderes se instalou, grita nosso poeta! Helás! Resta, ao fim e ao cabo, para suportar tantos tormentos em meio a tanto caos, a linda poesia concreta, cujo pano de fundo é um barco e perto dele a cruz e na cruz impeachment ment cinema peach macete..., ..., ... Estaria ele à deriva? Não importa a resposta e sim ver que, ladeando o barco e ao infinito, há palavras, palavras, palavras…
Prof. Dr. Edson Santos Silva - UNICENTRO/I

Olá Gerson. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro discorrerá a respeito do grande momento atual em que a democracia é colocada em choque. Nesse contexto aparecerá várias poesias questionando a ideia de democracia praticada aqui no Brasil. Além do inquimento sobre democracia, o livro também põe em questão a educação pública - ou seja, a educação básica brasileira que em vez formar, ela deforma a criança, adolescente e adulto, bem como adentrar na história questiona os feitos malignos da nossa política desde Cabral.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou mestre em Literatura, Poeta, Idealizador e organizador das Antologias Poéticas Poetas Inocentes. Já publiquei a todo dezesseis livros: sendo 15 das Antologias Poéticas Poetas Inocentes e mais um livro teórico de Literatura e Crítica Literária denominado O jogo Poético: beleza e monstruosidades. Já plantei árvores, escrevi livros, estou criando um manifesto literário-político chamado Cauilismo. Além do manifesto Cauilístico, criei três esculturas cauilísticas para reapresentar o movimento literário e político.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
É um tarefa difícil escrever para um país que preocupa mais com a enganação do que com a qualidade da educação, saúde e segurança da nação brasileira. Eles se preocupa com o próprio umbigo, melhor, com o próprio bolso.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
No primeiro livro que publiquei foi através de um amigo, agora nesta edição eu já conhecia a editora.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Meu livro está recheado de surpresas, questionamentos, labirintos a serem percorridos para descobrirem uma poesia amalgamada por uma véu a ser descortinado e, após, ser degustado por um leitor atento e amante de uma boa poesia. Caro, leitor, sou a tua voz querendo ser ouvida.

Obrigado pela sua participação.
Leia Mais ►

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Entrevista com Priscila Goularte - Autora de: UM MISTÉRIO INESPERADO

É professora há 14 anos na Escola Coração de Jesus - Objetivo, onde leciona Língua Portuguesa para as turmas de 4º e 5º anos. Formou-se em Letras. Sempre foi uma ávida leitora. Está sempre com um livro debaixo do braço e outro na cabeceira da cama: eles são seus companheiros de todas as horas. Como é uma apaixonada pelos livros, desenvolveu um projeto de leitura e escrita na escola que resultou na produção do livro Um mistério inesperado.

Thomas e Gabi descobrem que foram morar em uma casa que guarda muitos segredos e verdades ocultas e, junto com seus novos amigos, Matheus e Júlia, viverão uma história mágica que os levará a desvendar todo esse mistério.
Uma mudança. Uma casa nova mal-assombrada. Novos amigos. Uma aventura mágica. Um mistério inesperado.




Olá Priscila. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.

Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
O livro trata-se de uma história de mistério e aventura, onde quatro crianças desvendam mistérios em uma casa abandonada há muitos anos. A ideia de escrevê-lo surgiu de um projeto de leitura e escrita que realizo como professora na escola Coração de Jesus - Objetivo,em que vou fazendo um apanhado de ideias com os meus alunos do 5º ano até chegar ao resultado final, que é o livro. O livro destina-se ao público infanto-juvenil.

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Sou professora há 14 anos na Escola Coração de Jesus - Objetivo, onde leciono Língua Portuguesa para as turmas do 4º e 5º anos. Sou uma leitora voraz, apaixonada pelos livros. E, por essa paixão desenvolvi um projeto na escola que resultou na produção do livro Um mistério inesperado.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Não é fácil, principalmente em uma cidade pequena com a que eu moro, não há incentivo nenhum à leitura. Por isso, senti a necessidade de realizar este projeto para que as crianças tomem gosto pelo mundo da literatura. Acredito que através das crianças podemos mudar um pouco essa mentalidade de não se dar valor à leitura.

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Eu conheci a Scortecci Editora através da Bienal do Livro em São Paulo e estou muito satisfeita com o trabalho que a editora realiza.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
O livro Um mistério inesperado merece ser lido porque é uma história cheia de mistério e aventura, escrito por crianças que viajaram, deram asas à sua imaginação para que a história fosse criada. Espero que os leitores embarquem nesta aventura conosco e desvendem todo o mistério que envolve a casa abandonada.

Obrigado pela sua participação
Leia Mais ►

quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Entrevista com Vivian Reis - Autora de: VOCÊ, EU E DEUS!

É natural da cidade de São Paulo, tendo exercido a profissão de secretária executiva por vários anos. Cursou jornalismo na Universidade Anhanguera, porém não concluiu o curso, por ser convidada a ministrar palestras sobre as Leis da Mente, pelo que é apaixonada!
Atualmente conta com mais de 65 vídeos no youtube, dedicados à auxiliar às pessoas que necessitam de direção mental e espiritual. Publica artigos no Google à respeito de Ordem Social, motivando as pessoas e dirigentes de nossa nação a melhorar a qualidade de vida dos indivíduos do Brasil.

Este livro mostra de forma inovadora, como você pode utilizar as Leis Mentais para transformar sua vida, conseguindo: paz de espírito, tranquilidade, progresso, harmonia nos relacionamentos, fé, esperança e êxito profissional, atingindo dessa forma melhor qualidade de vida.






Olá Vivian. É um prazer contar com a sua participação no Blog Divulgando Livros e Autores da Scortecci do Portal do Escritor.


Do que trata o seu Livro? Como surgiu a ideia de escrevê-lo e qual o público que se destina sua obra?
Este livro na categoria de autoajuda, foi elaborado com o intuito de realmente auxiliar as pessoas a modificar o seu modo de vida, através da mudança de seus pensamentos e sentimentos e esta obra destina-se ao publico geral que deseje melhor qualidade de vida!

Fale de você e de seus projetos no mundo das letras. É o primeiro livro de muitos ou apenas o sonho realizado de plantar uma árvore, ter um filho e escrever um Livro?
Trabalhei 22 anos como secretária executiva e atualmente estou me dedicando ao universo das palestras na mesma linha de autoajuda (motivacional) concorrendo para pessoas no sentido de colaborar efetivamente em melhorar suas condições de vida. Por outro lado, já tenho mais três livros escritos que pretendo editar (através da Scortecci) no ano de 2017. Um dos quais intitulado AS RIQUEZAS DE SUA MENTE, outro cujo título será REIKI níveis I e II de Vivian Reis e o terceiro com o título ainda não está definido.

O que você acha da vida de escritor em um Brasil com poucos leitores e onde a leitura é pouco valorizada?
Temos que considerar que nos encontramos em um país de terceiro mundo e as condições de vida, socialmente falando, deixam muito a desejar. Dessa forma se o indivíduo não tem condições dignas de vida, não tem muito interesse pela leitura, mas por outro lado, cabe a nós escritores, incentivar a leitura, através de palestras, folhetos explicativos e elucidativos quando possível e ainda utiliza a mídia na medida do possível a fim de interessar o público jovem, adulto e porque não também o infantil à prática da leitura!

Como você ficou sabendo e chegou até a Scortecci Editora?
Através de pesquisa junto à internet e acredito ser uma das melhores e mais confiáveis, tendo eu optado pela mesma por essas razões.

O seu livro merece ser lido? Por quê? Alguma mensagem especial para seus leitores?
Não somente merece ser lido, como DEVE ser lido, pois como mencionei anteriormente, é um livro para auxiliar o público geral a alterar seu modo de vida, através da mudança interior (pensamentos e sentimentos). E com convicção plena, se praticados seus ensinamentos, alterará de forma benéfica a qualidade de vida dos leitores!

Obrigado pela sua participação.

Leia Mais ►